top of page

Deixando ir ...

Atualizado: 19 de dez. de 2023


Se você olhar esta imagem, entenderá que esta gota de água não tem outro caminho, que não seja desprender-se do galho e seguir o seu fluxo.


Assim é a vida!

Por mais que queiramos nos agarrar a pessoas, situações e coisas, não há outro caminho que não seja desprender-se de cada uma delas; seja com maturidade e entendimento, seja com dor e sofrimento.


A única coisa que podemos escolher é a forma de lidar com este processo natural da vida. Afinal, todos nós partiremos, cedo ou tarde. Esta é uma certeza absoluta.


Quando olhamos para a chuva e acompanhamos a água caindo sobre tudo, sabemos que é impossível a água manter-se sobre elas. Se ela não escorrer, ela vai secar, mas ela seguirá sempre em movimento, em transformação constante.


Chega a ser bonito todo esse movimento. Mas ele só é bonito quando olhamos para ele com leveza e principalmente, aceitação.

Se quisermos forçar a água a permanecer, certamente iremos nos frustrar, pois é impossível modificar o fluxo natural da vida. E de quebra, ainda ficaremos bravos com Deus ou com o universo, por nos fazer sofrer.


Mas quem de fato gerou o sofrimento?

Deus? O universo? Ou a pessoa que quis mudar a realidade com base em suas próprias expectativas impossíveis?

Se eu sei que as coisas são assim e que tudo, absolutamente tudo, em algum momento precisará se desprender de mim (até eu mesmo, do meu corpo), por qual motivo deveria idealizar e desejar algo diferente disso?


Quando construimos um universo de ilusão, sem considerar o que de fato é real, não teremos outro caminho que não seja o sofrimento e muitas vezes, o vitimismo.

Este alvo que você definiu em sua mente, te levará exatamente para onde ele aponta.

Por qual caminho a sua mente tem levado você? Qual tem sido o seu alvo, seu foco?

Ele é real ou ilusório?


Assim como a gota desta imagem, você irá se desprender de tudo o que hoje está apegado. E não será uma decisão sua, mas é assim que é. E quanto mais tentar se agarrar a algo, maior será seu sofrimento no futuro e até mesmo hoje, pelo medo que você construiu, de perder. Relutar é inútil e muito doloroso.


Percebe como o apego é uma forte raíz de sofrimento para nossa vida?


Tente ser como esta gotinha de água, que simplesmente deslizou por cada parte desta planta e agora poderá seguir seu fluxo, livre, "evaporada", em direção ao céu.


Você pode se apegar na ideia da perda, daquilo que deixou (ou que foi tirado de você), ou na ideia do que virá, dali em diante.

Talvez você não consiga ver o que virá; mas tão certo quanto aquilo ou aquele que partiu, é a certeza de que uma nova etapa se apresentará, para tudo e todos, sem exceção.

A continuidade é um fato.


Você querendo ou não, este é o fluxo da vida.

Então que tal ir treinando a sua mente para o desapego?

Ao invés de escolher guardar, doe.

Ao invés de escolher lamentar, agradeça pelo tempo que lhe foi concedido.

Ao invés de ter medo de perder, aproveite com todo seu coração, cada segundo.


Sem medo de perder, temos mais leveza para verdadeiramente apreciar a nossa vida hoje e aquilo que ela nos oferece, sem lamentação ou expectativas ilusórias.

Tudo um dia chegará ao fim. Toda essa sua estrutura de vida, que hoje é tão agradável ou não a você, não existirá mais, em algum momento. Não se esqueça disso, para depois não dizer que foi de repente, que foi de surpresa e que não estava preparado para isso.

Cuidadocom as falsas expectativas...


Aceitar a realidade é viver com liberdade.

Desamarre! Deixar ir, também é se permitir seguir!



Escrito por: Dra. Cintia Natoli

Fisioterapeuta Integrativa

Saúde Integrativa | Estilo de Vida | Gerontologia

Imagem deste post: Freepik



12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page